Filho do novo presidente argentino reage a provocação de Eduardo Bolsonaro

VEJA – O designer Estanislao Fernández filho do presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, reagiu nesta quarta-feira (30/10) a uma provocação do deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do chefe de Estado brasileiro. “Quero dizer à comunidade LGBTTTIQQA+ mais ‘aliades’ [linguagem inclusiva, sem definição de gênero] do Brasil que estamos juntos nesta luta. Lembrem-se de que o amor sempre vence o ódio”, postou Estanislao em sua conta no Twitter.

Mais cedo, Eduardo replicou um tuíte que mostrava fotos dele, posando com armas, e de Estanislao – que faz cosplays e se veste de drag queen – fantasiado como a personagem Pikachu, do anime japonês Pokémon. O deputado brasileiro escreveu “isso não é um meme” ao compartilhar a postagem.

 

A reação de Estanislao veio em dois tuítes. Na primeira, ele escreveu: “muita gente do Brasil começou a me seguir, então quero dizer à comunidade LGBTTTIQQA+ mais ‘aliades’ do Brasil que estamos juntos nesta luta. Lembrem-se de que o amor sempre vence o ódio e entre nós temos que cuidarmo-nos sempre”.

Na sequência, o filho do novo presidente argentino tuitou em português: “irmãos brasileiros, estamos juntos nessa luta. Os amo”, em um texto acompanhado das figuras de uma bandeira do movimento LGBT e corações.
 
Estanislao tem mais de 100 mil seguidores tanto em sua conta do Instagram quanto do Twitter e participou ativamente da campanha do pai, inclusive respondendo a mensagens homofóbicas durante a corrida eleitoral. No último domingo, o peronista Alberto Fernández – que tem como vice a ex-presidente argentina Cristina Kirchner – derrotou Mauricio Macri em primeiro turno e em dezembro tomará posse como novo chefe de Estado do país.
 

Jair Bolsonaro, que já havia declarado temer que a Argentina se tornasse “uma nova Venezuela” no caso da vitória de Fernández, disse após a eleição que os “argentinos escolheram mal” e que não perseguiria o vencedor, mas se recusou a congratulá-lo.

Após ser eleito, Fernández agradeceu o apoio do venezuelano Nicolás Maduro e publicou carta que pede a liberdade de Lula, dois desafetos de Bolsonaro.

Comente com o Facebook
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com