Às vésperas do GP do Brasil, Petrobras oficializa fim de parceria com a McLaren

ISTOÉ – Duas semanas depois do Ministério da Economia informar que a Petrobras cancelou o contrato de patrocínio da estatal com a equipe McLaren na Fórmula 1, as duas empresas oficializaram nesta segunda-feira (4/11), às vésperas do GP do Brasil, que será no próximo dia 17, em São Paulo, o fim da parceria técnica e de patrocínio que vinham desenvolvendo em conjunto. O valor do contrato era de 163 milhões de libras esterlinas (R$ 872,5 milhões).

O acordo foi assinado quando a Petrobrás era comandada por Pedro Parente, durante o governo Michel Temer. Em fevereiro deste ano, a empresa estatal havia informado que estava revendo a sua política de patrocínios. Em maio, Bolsonaro anunciou no Twitter que estava buscando uma maneira de rescindir o contrato de publicidade com a McLaren, válido por cinco anos.

Apesar do final do acordo, a estatal brasileira e a equipe britânica de Fórmula 1 destacaram os pontos positivos do projeto. De acordo com a Petrobrás, a parceria resultou em claros avanços tecnológicos na linha de combustíveis e lubrificantes, além de oportunidades de futuras cooperações comerciais, tecnológicas e de Responsabilidade Social entre as duas empresas.

“Reconhecemos a importância da McLaren no cenário do automobilismo global e ficamos muito satisfeitos com os resultados entregues durante os dois anos da nossa parceria”, mencionou Roberto Castello Branco, atual presidente da Petrobrás.

Ele comentou também que “o projeto permitiu que a Petrobrás desenvolvesse gasolinas e lubrificantes de alta tecnologia por meio de pesquisas com novas matérias-primas e testes realizados em condições extremas. O desenvolvimento tecnológico será utilizado em produtos comerciais de lubrificantes e combustíveis. Enxergamos na McLaren um compromisso com a inovação bem como a possibilidade de futuras parcerias”.

Zak Brown, CEO da McLaren, reiterou: “Gostaríamos de agradecer à Petrobrás pela parceria e seu suporte. Temos muito respeito pela capacidade técnica e científica da empresa e não temos dúvida de que os técnicos da empresa fizeram um progresso substancial durante o período que trabalhamos juntos. Desejamos a todos na Petrobrás todo o sucesso e esperamos vê-los de volta ao esporte novamente no futuro”, disse.

A Petrobrás tem diminuído o investimento em patrocínio ao esporte neste ano. A decisão foi tomada a partir da chegada de Roberto Castello Branco à presidência da estatal. Com isso, alguns projetos estão perdendo o apoio ou as suas verbas foram diminuídas.

A Petrobrás não é a única estatal que está revisando os seus gastos no esporte. Recentemente, os contratos dos Correios com algumas confederações esportivas nacionais, como a de esportes aquáticos, rúgbi, tênis e handebol, terminaram ou se encerram nos próximos dias e não houve sinalização para renovação.

Comente com o Facebook
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com