Bahia vence CSA e encerra jejum no Brasileirão

POR: A TARDE – Organizado e com mais vontade e ousadia, o Bahia voltou a ser aquele time aguerrido, que não desiste até escutar o apito final, como visto na maior parte do Campeonato Brasileiro. E isso foi suficiente para o Tricolor vencer o CSA por 2 a 1, no estádio Rei Pelé, em Maceió, e dar fim ao jejum de nove jogos sem ganhar na Série A.

O que faltou em qualidade, sobrou em luta e entrega durante os 90 minutos. O Esquadrão foi soberano durante todo o primeiro tempo e viu Gilberto abrir o placar com um belo gol da entrada da área. Mas nos 45 minutos finais, a equipe se perdeu, tomou o gol de empate e ainda viu Ronaldo ser expulso. Mas quando o placar parecia definido, a estrela tricolor brilhou e Arthur Caíke deu o triunfo ao Bahia.

O Esquadrão volta a campo quinta-feira, às 19h15, quando receberá o Vasco na Arena Fonte Nova, com o objetivo de voltar a figurar no G-10.

Chuta-chuta

Mais aguerrido do que nas, pelo menos, cinco últimas partidas, o Bahia entrou em campo com um pouco mais de ousadia e determinação. O nível do futebol ainda está longe daquele visto no primeiro turno, mas foi o suficiente para apertar e forçar erros na defesa do CSA, ontem, no Rei Pelé.

Com Ronaldo no meio de campo, formando a trinca de volantes com Gregore e Flávio, o Tricolor começou o jogo apostando nas jogadas em velocidade, principalmente pela direita, na dobradinha com João Pedro, titular no lugar de Nino Paraíba, e Artur.

Mesmo com mais posse de bola, o Esquadrão não conseguia infiltrar na defesa alagoana. Com isso, o time de Roger Machado passou a arriscar chutes de fora da área. Nos primeiros 15 minutos, o Tricolor tentou, de longe, com Gilberto, Artur, João Pedro.

Mesmo acuado, o CSA conseguiu a primeira boa oportunidade do duelo aos 5 minutos. Em rápido contra-ataque, Ricardo Bueno chutou cruzado e Apodi, por pouco, não conseguiu chegar para empurrar para o fundo da rede.

Aos 10 minutos, Gilberto soltou uma bomba de fora da área. Bem posicionado, Jordi defendeu. Mal sabia o goleiro azulino que, 21 minutos depois, o destino lhe reservara uma ingrata surpresa.

E a noite estava realmente preparando algo especial para o camisa 9 do Bahia. Aos 21, o atacante até balançou a rede. O auxiliar não marcou nada e deixou a decisão para o VAR, que anulou o gol, indicando que a bola havia saído pela linha de fundo.

Sem conseguir tomar as rédeas da partida, o CSA passou a tentar ligações diretas e apostar na velocidade de Apodi, mas não teve êxito.

Com o controle do embate, o Bahia quase abriu o placar com Gregore. Aos 26 minutos, ele quase fez o seu primeiro gol com a camisa azul, vermelha e branca. Da entrada da área, ele encheu o pé e forçou Jordi a fazer uma grande defesa.

Melhor na partida e dono das melhores chances, o Tricolor foi premiado pela insistência. E o gol saiu da forma que vinha sendo ensaiado: de fora da área. Aos 31 minutos, Flávio deu bom passe para Gilberto, que cortou o zagueiro Alan Costa e chutou rasteiro, da entrada da área, no cantinho, para fazer 1 a 0.

Após o gol, o Esquadrão tentou aproveitar o embalo e o abalo na equipe alagoana para ampliar o placar. Artur e Élber, em jogadas de velocidade, tentaram. Lucas Fonseca, de cabeça, deu trabalho para Jordi. Mas o primeiro tempo acabou mesmo no 1 a 0.

Susto e festa

Com o placar a favor e sem precisar se preocupar com a velocidade de Apodi – saiu contundido –, o Bahia voltou para a segunda etapa querendo ampliar o resultado. Logo aos 2 minutos, João Pedro foi à linha de fundo e cruzou para trás, rasteiro. Ronaldo, de carrinho, bateu de primeira e Jordi se esticou todo para salvar o CSA e evitar o segundo gol.

O jogo parecia estar sob controle, mas aos 9 minutos o Azulino conseguiu e empatar da única forma possível: de bola parada. Rafinha cobrou escanteio, a defesa do Bahia não subiu e, sozinho, Nilton apareceu na pequena área para deixar tudo igual. Lei do ex entrou em ação, inclusive foi o primeiro gol de Nilton com a camisa do CSA.

O Bahia respondeu com Fávio. Aos 13 minutos, o camisa 5 soltou uma bomba de fora da área e o bom goleiro Jordi fez mais uma grande defesa.

Quando o Tricolor começava a tomar as rédeas da partida, Ronaldo fez falta dura em Jean Cléber e foi expulso. O CSA foi pra cima, em busca da vitória. Apertou de todas as formas possíveis a defesa tricolor.

Mas quem voltou a balançar as redes foi o Bahia. Aos 40 minutos, pouco depois de Artur acertar o travessão em cobrança de falta, Arthur Caíke deu os três pontos para o Esquadrão. O atacante barbudo recebeu passe de Artur Victor e, livre de marcação, chutou com categoria, sem chance para o goleiro Jordi.

Bahia voltou a comemorar os três pontos após nove jogos na Série A e deu fim ao indigesto jejum na competição.

Comente com o Facebook
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com