Confronto entre muçulmanos e hindus deixa 22 mortos na Índia

FOLHAPRESS – Um conflito religioso entre a maioria hindu e a minoria muçulmana na região de Nova Déli entrou em seu quarto dia nesta quarta-feira (26/02), deixando um rastro de destruição na capital da Índia e, ao menos, 22 mortos segundo os serviços de saúde locais.

A situação fez o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, um nacionalista hindu, pedir calma aos dois lados. “A paz e a harmonia são fundamentais para nosso espírito. Faço um apelo a meus irmãos e irmãs de Déli para que mantenham a paz e a fraternidade a todo momento”, afirmou ele em uma mensagem divulgada em uma rede social.

“É importante que exista calma e que a normalidade seja restabelecida o mais rápido possível”, acrescentou o premiê, que é acusado de favorecer a população hindu (que forma cerca de 80% da população) e descriminar os muçulmanos (14%).

O confronto, que se concentra na periferia leste da capital, tem como pano de fundo a aprovação de uma polêmica lei de cidadania que foi apoiada pelo próprio Modi.

A norma, aprovada pelo Parlamento em dezembro, determina que hindus e cristãos vindos de países vizinhos que se estabeleceram na Índia antes de 2015 poderão pleitear cidadania por enfrentarem perseguição nos seus lugares de origem.

A regra porém, não vale para muçulmanos, o que despertou críticas contra o governo. Desde sua aprovação, muçulmanos tem ido às ruas do país para protestar contra a nova lei, mas até a atual onda de confrontos, os atos tinham sido majoritariamente pacíficos.

A situação começou a mudar no último domingo (23), quando grupos de muçulmanos e hindus começaram a arremessar pedras um no outro, de acordo com o jornal americano The New York Times.

Os confrontos começaram um dia antes do início da visita do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ao país -ele e Modi são aliados.

Desde então, os confrontos cresceram na capital e mais de 200 pessoas ficaram feridas. Segundo o britânico The Guardian, grupos formados por centenas de hindus tem usado paus, pedras e armas de fogo para atacar os muçulmanos e chegaram a botar fogo em duas mesquita.

Muçulmanos afirmaram ainda ao New York Times que a polícia não tem impedido os ataques.

Segundo as autoridades de saúde, a maioria dos mortos foi baleada e há tanto muçulmanos quanto hindus entre as vítimas.

Comente com o Facebook
Faça sua denuncia ou elogio
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support