Vereador de Belém contrário ao isolamento social passa a defender medida após perder o pai

O vereador de Belém Sargento Silvano (PSD) está surpreendendo seus seguidores nas redes sociais. O político, que sempre apoiou Jair Bolsonaro e no final de março chegou a defender o discurso do presidente para abertura imediata do comércio e abertura de igrejas, mudou de opinião, agora prega o isolamento social e ataca o presidente: “Bolsonaro mente”.

No mês de abril, o vereador e cerca de dez pessoas da família dele foram infectadas pelo novo coronavírus. O pai do Sargento, de 65 anos, não resistiu e morreu depois de mais de 30 dias internado no hospital. Até segunda-feira (18), o Pará registrava 15.467 casos e 1.392 mortes por Covid-19.

“Eu e minha esposa pegamos logo de primeira. Depois adoeceu minha mãe, meu pai, cunhada, meus filhos, minha nora e meu irmão. Moramos em casas próximas e mesmo usando máscaras e álcool gel, fomos todos adoecendo”, contou o vereador ao G1.

O vereador explica que a mudança de postura se deu antes da família adoecer e do pai morrer. “Um mês antes eu queria abrir a igreja, conversei com o Ministério Público e eles informaram seguir linha não política, mas científica, descobriram que o Pará seria muito atingido. Diante da explicação do MP, decidi retroceder e informar que deveríamos manter isolamento, usar máscaras e que as igrejas deveriam ficar online, parei de defender a abertura”, explica Silvano.

A experiência negativa da Covid-19 fez o vereador refletir sobre a importância de preservar vidas. “Passei 11 dias trancado em casa, na beira da morte. Comecei a definhar como ser humano. Quando Deus me levantou, eu fui cuidar das pessoas, da minha família. Comecei a ficar muito revoltado com o Bolsorano, porque o que ele tá pregando é mentira”, afirmou.

“O que a adianta a gente brigar pra ter comércio, bens, se a gente não leva nada? O que vale é a prevenção. Meu pai morreu, ele construiu um patrimônio e nem com a roupa que ele tinha, ele foi pro túmulo. Ele foi enrolado num lençol hospital e ficou dentro de um saco no caixão”, relata o vereador.

Antes apoiador, o vereador agora ataca Bolsonaro: “Não é gripezinha como Bolsonaro falou, ele é mentiroso. Os seguidores do Bolsonaro estão cegos. Eles não conseguem ver além do que acreditam, como se tivessem na frente deles uma parede, eles não conseguem pensar na dimensão. Hoje são 16 mil pessoas que morreram, é uma cidade inteirinha. São muitas pessoas que estão sofrendo, será que estamos idolatrando um homem e esquecendo amor pelo próximo?”, disse ao G1.

Recuperado da Covid-19, o vereador Sargento Silvano está com várias ações para ajudar moradores de bairros mais populosos de Belém. “Comprei máquinas de dedetização e estou fazendo nas casas, feiras. Doei cestas básicas e remédios com recursos próprios. Dei café da manhã para quem estava na fila da Caixa. Estou saindo de casa e fazendo pelo próximo. Se todos vereadores se unissem e comprassem máquinas, com certeza nossa cidade não estaria com tantos casos de doença como temos”, afirmou ainda.

Facebook Comments
Translate »
error: Conteudo protegido!