Esposa de deputado bolsonarista preso recebeu auxílio emergencial mesmo com cargo em Ministério

(YAHOO!) – A esposa do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), Paola da Silva Daniel, recebeu parcelas do auxílio emergencial, criado para assistir os desempregados durante a grave crise social acentuada pela pandemia do novo coronavírus, enquanto ocupava um cargo no Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, que é vinculado ao Ministério do Meio Ambientes. As informações são do jornalista Ancelmo Gois, do Globo. 

Paola ocupava o cargo de coordenadora de gestão de pessoas no órgão desde 16 de outubro. O salário do posto é de R$ 5,6 mil por mês. 

Mesmo com um salário maior do que a média dos brasileiros, a esposa do parlamentar preso recebeu, de acordo com dados do sistema de pagamento da Caixa, quatro parcelas do benefício emergencial, somando um montante de R$ 1.800. 

O recebimento das parcelas fere as regras que dão direito ao auxílio, já que o beneficiário não deve possuir emprego formal ativo. O regramento diz ainda que agentes públicos, ocupantes de cargos de confiança, cargos comissionados e titulares de mandato efetivo estão fora do escopo da ajuda emergencial. 

Ainda conforme as regras estipuladas pelo Ministério da Cidadania, pasta que gere o benefício, o trabalhador que conseguir um emprego deve cancelar o auxílio no sistema. 

Nas redes sociais, Paola se descreve como advogada formada pela Universidade Estácio de Sá, com pós-graduação em Ciências Criminais.

De acordo com a apuração de Ancelmo Gois, a Caixa identificou três pedidos de pagamento do benefício para a esposa do deputado apoiador do presidente Jair Bolsonaro (sem partido): O primeiro deles, no dia 12 de abril, foi negado por falta de informações. O segundo, protocolado no dia 27 do mesmo mês, teve a mesma resposta. Somente na terceira tentativa, feita em 6 de junho, é que o recurso foi liberado. 

Questionada pelo veículo, Paolo disse que preencheu todos os requisitos legais para receber o auxílio e que está tentando devolver parte das verbas. Segundo o Globo, dados da Caixa mostram dois pagamentos para a advogada em dezembro. Ela, no entanto, demonstrou desconhecer o pagamento.

“Minha última parcela do auxílio foi em novembro. Moro em Petrópolis e precisava do dinheiro para custear minha despesa até meu local de trabalho. Após meu primeiro vencimento, procurei uma maneira de devolver essa última parcela, pesquisei e observei que era bem burocrático e que continha muitas dificuldades, dificuldades estas que ainda estou tentando solucionar. No mais, fiz tudo dentro da legalidade”, alegou ao jornal. 

Daniel Silveira, marido de Paola, está preso desde a semana passada, por ordem do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele foi preso em flagrante depois de ter publicado um vídeo insultando, de forma violenta, ministros da Corte.

Facebook Comments Box
Translate »
error: Conteudo protegido!