Polícia procura homem suspeito de matar quatro pessoas da mesma família

Autoridades de Goiás e do Distrito Federal procuram um homem suspeito de matar quatro pessoas de uma mesma família na última semana. Policiais militares, policiais rodoviários, helicópteros, cavalos e diversas viaturas são usados para prender Lázaro Barbosa de Sousa, de 32 anos. As informações são do Brasil Urgente.

No último dia 9, ele assaltou uma fazenda em Ceilândia e matou três pessoas, pai e dois filhos. As vítimas foram identificadas como Cláudio Vidal, de 48 anos; Gustavo Marques Vidal, de 21; e um menor, de 15 anos.

Depois, Lázaro sequestrou e matou uma quarta pessoa – a única mulher, esposa de Cláudio. O corpo de Cleonice Marques de Andrade, de 43 anos, foi encontrado no último sábado (12) próximo à casa da família, que era proprietária de uma floricultura em Ceilândia.

Desde então, Lázaro está foragido. Ele já foi visto em chácaras da região do município de Cocalzinho de Goiás, mas o último local foi em Edilândia, povoado da mesma cidade.

Por onde ele tem passado, ele tem praticado crimes. Durante o último fim de semana, ele atirou em mais duas pessoas, colocou fogo em uma casa e roubou carros.

“Ele é muito perigoso”, informou Michello Bueno, major da Polícia Militar de Distrito Federal. “Como eu disse, além disso, ele não está em seu estado normal. Tanto é que está há cinco dias fugindo da polícia. Agora, neste momento, hoje, segunda-feira, a gente fez um cerco na área onde ele possivelmente está, de 10 mil metros quadrados. Os policiais estão nesse cerco”, completou.

A ficha criminal de Lázaro Barbosa é extensa. Em abril de 2020, ele invadiu uma casa no Sol Nascente (região administrativa do DF, que pertencia a Ceilândia), fez a família refém e estuprou uma mulher. Em maio, ele entrou em uma nova casa.

De acordo com a polícia, a dificuldade em capturar o homem é a facilidade que ele tem de andar na mata. Cerca de 200 policiais fazem parte das buscas.

“É um criminoso diferente, é um criminoso que a gente chama de mateiro. Ele conhece a mata muito bem, ele é caçador, então sabe se esconder, porque ele se esconde para pegar a caça. Ele está armado. A Polícia Militar e a Polícia Civil têm que entrar com muito cuidado, tem que se preocupar com a população, com nossas vidas. Ele não. Então ele consegue progredir muito mais rápido que a gente”, reforçou o major Michello.

Lázaro já havia sido condenado por um homicídio na Bahia e é considerado foragido desde 2018. Ele é procurado também por crimes como estupro e latrocínio.

Série de crimes

Desde que matou três pessoas no dia 9, Lázaro deu início a uma série de crimes no Entorno de Brasília.

No mesmo dia, o criminoso invadiu uma outra chácara e obrigou a família que morava no local a cozinhar para ele. Ele chegou a anunciar crimes e relatar sua fuga. Ninguém foi morto no local.

Na madrugada de sexta-feira (11), ele fez uma família refém em Ceilândia, roubou um carro e foi para Cocalzinho de Goiás. O veículo foi posteriormente abandonado e incendiado.

No sábado (12), enquanto o corpo de Cleonice era encontrado perto de um córrego, Lázaro fez outro caseiro refém em Cocalzinho.

Horas depois, ele invadiu outra fazenda e baleou três homens – dois seguem internados em estado grave. Uma arma de fogo foi roubada do local.

No mesmo dia, à noite, o fugitivo colocou fogo em uma casa, trocou tiros com policiais e fugiu para uma área de mata.

Facebook Comments Box
Translate »
error: Conteudo protegido!